segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Eu e o Grupo Y-no

Que previsível, huh?
Claro que vou falar do Grupo Y-no no Cappuccino hoje!

Para quem não sabe, ontem foi ao ar uma matéria no programa dominical Fantástico, exibido pela Rede Globo, sobre o Grupo Y-no - grupo formado por japoneses que faz sucesso em Tóquio cantando pagode e samba em português e japonês. E eu estava lá também!

clique na imagem para assistir ao vídeo

Os meninos conheceram a cultura brasileira entrando por curiosidade em um clube da faculdade com esse tema. Lá, se apaixonaram pela nossa música e ritmo! No ano seguinte, formaram um grupo de pagode - Grupo Y-no (ii no: bom).  Aprenderam a tocar os instrumentos musicais sozinhos! Quer dizer, o básico foi aprendido com algum conhecido que sabia, ou olhando nas revistas... mas o resto, fizeram por eles mesmos. 

E eu com isso?
Como 99% das amizades que fiz na vida, a com o Grupo Y-no também começou com um desenho! 3 anos depois, nos conhecemos pessoalmente. Combinamos de nos encontrar no Rio de Janeiro e passeamos bastante pra lá e pra cá. A equipe do Fantástico acompanhou a gente por um dia inteiro, dos quatro que ficamos por lá. Tive oportunidade de conhecer a cidade, pontos turísticos, restaurantes maravilhosos... e realizei o sonho de conhecer tanto meus amigos que estavam do outro lado do mundo, quanto um amigo dos tempos de bate-papo da uol, o DJ Wonka, quem eu nunca tinha visto pessoalmente em 10 anos de amizade!

da esquerda, esquerda, esquerda, pra direita: Itú, Kenta, eu, Max e Tanaka

Eu estudo o idioma japonês sozinha há 3 anos, sou apaixonada pelo Japão, morro de vontade de conhecer o país e importo muita coisa da cultura deles. Conhecer japoneses que amam a minha cultura me deixou muito feliz e orgulhosa. Por causa deles passei a estudar mais a minha origem e me apegar mais ao meu país. 

Fiquei na casa da minha amigona de infância e seu marido, que me apoiaram o tempo todo. Estou muito feliz por tudo o que aconteceu e agradeço muito a eles, de todo o coração! s2

Moral da história:
Por mais impossível que seu sonho pareça, acredite nele! Se eu tivesse escutado as pessoas que me disseram para abandonar o mangá, eu estaria rica... mas não teria passado por tudo isso que aconteceu semana passada.

Quando alguém disser que algo é impossível, lembre que Shiryu mudou o curso da cachoeira!

Que seus sonhos se realizem também!


Até a próxima! o/

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Férias induzidas, viagem e tudo o mais

Ano novo, vida nova!
Mesmo tendo milhares de coisas pra fazer, desenhar, resolver e pesquisar, precisei viajar para alguns lugares com minha família. Começo de ano é a época ideal para fazer isso, pois todos ficamos de férias, e muito embora eu não estivesse de férias, tive que matar alguns dias de serviço.

Por sorte, a minha chefe (que por acaso sou eu) é super compreensiva e concordou que eu merecia um descanso pelos serviços prestados a ela no ano que se passou. Afinal, ela precisa de mim pra viver e sabe que se eu não tiver uns dias de folga, não terei condições físicas nem psicológicas para trabalhar pra ela.

Viagem
Fui com a família conhecer a cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais. Lá é muito lindo, mas para andar lá precisa ter disposição... e bons joelhos. É um sobe e desce danado de ladeiras pavimentadas com pedras, mas os lugares que a gente visita por conta disso valem a pena o esforço. Eu não sei o quanto você gosta de História do Brasil, se gostar, o passeio é válido!

Lá, além das muitas igrejas, e capelas e artes sacras, encontramos as obras de Aleijadinho e aprendemos um pouco mais sobre a história dos mineradores e escravos que viviam na região. O museu da Inconfidência é bem legal de se ir também, mas aconselho pagar um guia devidamente credenciado pela prefeitura para andar com você e explicar as coisas. Caso contrário, ficará andando pra lá e pra cá olhando as coisas e entendendo nada.

Há também um passeio que fazemos dentro de minas antigas. Eu sou meio claustrofóbica, mas encarei de boa. Dentro da mina é bem fresco e a gente consegue ver um monte de pedras diferentes.

Outro lugar que oferece um serviço legal é uma loja na Praça de Tiradentes chamada Época de Fantasia. Lá eles tiram fotos da gente com roupas de época, basta pagar a taxa de aluguel da fantasia. Eu tirei um monte de fotos!

Aproveitando a proximidade, passamos pela cidade de Mariana. Entre Outro Preto e lá, tem a Mina da Passagem. Ela é grandona e cheia de galerias! A gente desce até ela por um carrinho puxado à cabo. Dizem que ela ainda está em funcionamento, mas eu sei lá se está. Algumas pessoas que fazem mergulho em cavernas vão pra lá porque tem uma lagoa dentro da mina, e nessa lagoa, tem uma caverna. É perigoso, mas tem doido pra tudo nesse mundo.

Tudo o mais
Nesse tempo todo que passei fora, tentei não desenhar ou escrever muito, pois o médico me deu a infeliz notícia de que eu estou com lesão por esforço repetitivo na mão direita e preciso desenhar menos se eu quiser continuar trabalhando com isso (absurdo isso!). Me sinto descansada o suficiente, mas os remédios ainda não acabaram e ainda preciso caçar fisioterapia. (>.<)

Espero que este ano seja melhor (e mais fresco) que o ano passado!
Até a próxima!